Arts & Crafts, Consumo Consciente, maiyet, por Dani Mollo

MAIYET , O Exemplo a ser Seguido.

/
MAIYET , O Exemplo a ser Seguido.

Pesquisando sobre marcas de luxo já consagradas que correm atrás de se adequar a sustentabilidade, descobri a incrível marca de luxo com sede em NY chamada Maiyet.

A Maiyet tem uma filosofia belíssima e vivem para fazê-la acontecer, é uma marca de moda moderna, ética e de luxo que se associa com artesãos globais para incorporar detalhes requintadamente artesanais e técnicas inesperadas de tecido nas coleções – todas originadas globalmente e feitas localmente.

Sediada no coração do centro de Nova York, a Maiyet é parceira de artesãos em lugares como Índia, Indonesia, Itália, Quênia, Mongólia, Peru, Bolívia e Tailândia. A marca conta com o apoio da NEST, uma organização independente sem fins lucrativos dedicada à formação e ao desenvolvimento de empresas artesanais.

A Nest, é uma organização sem fins lucrativos construindo uma nova economia trabalhadora manual para aumentar a inclusão global da força de trabalho, melhorar o bem-estar das mulheres além das fábricas e preservar tradições culturais importantes em todo o mundo. Em parceria com colaboradores do setor público e privado, os programas da Nest estão trazendo transparência, desenvolvimento orientado e acesso a um mercado justo.

Existem vários tipos de programa suportados pelo Nest, e o resultado desse apoio ao artesão está na quantidade de pedidos e encomendas que eles têm recebido, e o melhor disso tudo: sem os intermediários muitas vezes antiéticos e muitas vezes cobrando valores absurdos que acabam repassando para o consumidor final. Assim, fica possível construir conexões humanas, abrindo o caminho para a diversificação e crescimento de negócios artesanais. A Nest Connect está inaugurando uma nova onda de artesanato, usando a colaboração designer-artesão como um meio para remodelar a mão de obra, valorizá-la como muitas vezes não é feito, e o melhor que seria aproveitá-la em coleções e peças de grandes marcas de luxo mundialmente conhecidas.

Desde o lançamento do programa, a Nest Connect trouxe sedas handloom de Varanasi, bordados à mão do Peru, malhas do Quênia para a coleção do Elder Statesman e muito mais – gerando um aumento médio de 313% em oportunidades de abastecimento para empresas Nest Guild, contribuindo com US $ 5,5 milhões em compras de marcas de artesãos. E mais um dado incrível, parceria com 42 empresas artesanais em 7 países, trazendo bem-estar a mais de 11 mil artesãos em todo o mundo. Incrível!!!

Trabalho maravilhoso, emponderando o artesão e principalmente muitas mulheres marginalizadas, preservando tradições seculares de fabricação de bordados e tecidos eliminando o intermediário tornando o mercado muito mais justo trazendo a excelente consequência de uma redução no preço final das peças.

No Brasil, a qualidade do artesanato é impressionante, limpo, caprichado e muito criativo mas ainda explorado por intermediários e pouco valorizado por algumas marcas de moda. Costuma-se ter o preconceito de que trabalhos artesanais e manuais são cafonas e de mau gosto mas com o direcionamento correto, com a instrução clara passada para os artesãos, muito poderia ser melhor aproveitado por grandes marcas nacionais e internacionais do mercado de luxo. Com os dados poupudos fornecidos pelo Nest, podemos imaginar a dimensão de tudo isso no Brasil. Vamos atrás disso!!!

Temos excelentes exemplos de que isso é possível por aqui. Por exemplo a Natural Cotton Color nasceu em 1995 na Paraíba como moda streetwear e em 2001, inseriu o artesanato local em suas coleções e participou pela primeira vez de um evento de Moda: a Feira Nacional da Indústria Têxtil.

E partir de 2005, a Natural Cotton Color decidiu trabalhar estritamente com o Algodão Colorido da Paraíba desenvolvido pela Embrapa, um algodão cuja pluma já nasce com em tons marrom e bege, sem uso de aditivos ou corantes. Também agregou definitivamente o trabalho artesanal no design dos seus produtos — alinhando a marca à moda ecológica e sustentável.

Não é o máximo ???? A Natural Cotton Color hoje exporta para mais de 10 países.

Seguindo a risca essa valorização do que é artesanal, a Maiyet está empenhada em fazer parcerias com artesãos que promovam a auto-suficiência e o empreendedorismo nas economias em desenvolvimento e a Nest é fundamental nisso tudo.

A Maiyet abraça a próxima geração de mestres artesãos, habilidades e tradições raras para criar uma moda excepcional. Trabalhando de mãos dadas com os nossos artesãos, a Maiyet atualiza, eleva, explora e expande as técnicas tradicionais, trazendo nova vida para habilidades antigas.

Exemplos do trabalho da Maiyet pelo mundo, são vários, como o cashmere, que representa uma antiga arte de fibra natural com uma rica história e é reverenciada por sua textura fina, suavidade ao toque, seu calor e seu equilíbrio único de leveza e durabilidade. A Maiyet trabalha diretamente com pastores nômades na Mongólia.

Dentre muitas parcerias especiais e espalhadas pelo mundo , a Maiyet conta com o moinho italiano, Botto Giuseppe que é responsável por processar a fibra desse tão nobre tecido em fios de luxo, certificados pela Cradle to Cradle, que se transformarão em uma variedade de roupas, como suéteres, casacos, vestidos e acessórios. Esse trabalho da Maiyet envolve os pastores na Mongólia e oferece serviços veterinários para as cabras, seguro pecuário e as melhores práticas de pastoreio, apoiando assim o estilo de vida nômade tradicional e os meios de subsistência.

Aqui vale um parênteses para falar do Cradle to Cradle que é uma expressão que apareceu há 15 anos no manifesto publicado pelo arquiteto americano William McDonough e pelo engenheiro químico alemão Michael Braungart, que veio a se tornar uma das obras mais influentes do pensamento ecológico mundial. (No Brasil, o livro foi publicado em 2014 pela editora Gustavo Gilli, com o título Cradle to Cradle – Criar e Reciclar Ilimitadamente).

Bem resumidamente, segundo essa concepção, o design industrial deve processar de forma diferenciada os nutrientes biológicos – materiais biodegradáveis que devem voltar de forma segura ao meio ambiente – e os nutrientes técnicos – recursos que não são produzidos de forma contínua pela biosfera, como metais e plásticos, que seriam aproveitados continuamente em processos industriais, sem perda de qualidade.

Essa maravilhosa marca já foi premiada com o The Butterfly Mark, impulsionado pelo Positive Luxury, pelo compromisso de proteger os recursos do planeta ao mesmo tempo que se orgulham do artesanato, serviço e design que proporcionam em seus produtos.

A missão da Positive Luxury é inspirar as pessoas a comprar melhor e influenciar as marcas para melhorar. E só recebe esse reconhecimento as marcas de luxo comprometidas com a sustentabilidade, ajudando os consumidores a comprar com confiança. As marcas passam por uma rigorosa avaliação que examina a sustentabilidade de um ponto de vista holístico; abrangendo governança, quadros sociais e ambientais, filantropia e inovação.

No site www.positiveluxury.com você pode comprar online todas as marcas certificadas com uma variedade de produtos que vão de relógios e jóias, passando por moda, beleza, acessórios até drinks e viagens. O site mostra tudo que cada uma das marcas faz de bom em relação a sustentabilidade, eles chamam de “positive actions”. Cá entre nós, “perdi” um tempinho navegando nesse site, vale muito a pena.

E a Maiyet está certificada e muito feliz pelo reconhecimento da Positive Luxury por suas ações e luta para reconhecer e dar o devido valor que o artesanato e seu artesão merecem.

Além de Maiyet, a loja da Nova York agora possui peças da Raven & Lily, uma marca de estilo de vida com foco em impacto social, Voz, uma marca de malha artesanal e Stae, uma marca de beleza natural. Todas as empresas colocam uma ênfase significativa na ética da fabricação e produção, além das preocupações usuais de etiqueta de luxo de estética e qualidade.

Na rua Crosby a loja atrai compradores que desejam produtos de alta qualidade, mas que podem estar cansados dos nomes de alguns designers. Para promover um senso de comunidade no espaço, Maiyet pretende hospedar uma série de eventos onde esperam, segundo van Zyl, que a comunidade de moda ética tenha um lugar para se conectar, crescer, agregar, trocar idéias e tornar mais corpulento e forte o movimento de moda mais consciente.

Paul van Zyl é co-fundador e CEO da Maiyet. Antes de fundar a Maiyet, Paul era conhecido por abordagens pioneiras na proteção dos direitos humanos. Ele assessorou países ao redor do mundo sobre como facilitar as transições para a paz e a democracia após períodos de atrocidade em massa e abuso de direitos humanos. Toda essa experiência agora utilizada e muito bem empregada no conceito e na alma da Maiyet.

Kristy Caylor é uma empreendedora, visionária da moda e humanitária, e na Maiyet, marca pioneira de luxo que fundou junto a Paul, integrou perfeitamente o design de classe mundial com uma filosofia social transformadora.

Kristy também se dedica a organização chamada CERCI que tem a seguinte missão:

“CERCI acredita que o futuro da moda é a sustentabilidade. Ao apoiar o design de mentalidade sustentável, modelos de negócios inovadores, consumo consciente e novas tecnologias, buscamos mover significativamente a agulha para um ecossistema circular.”

Não é maravilhoso???? Duas pessoas como Paul e Kristy ao se juntarem para fundar a Maiyet uniram qualidades e habilidades tão fortes que só poderia resultar em algo grandioso.

E com a consideração abaixo, feita por Kirsten Dickerson fundadora da marca Raven & Lily que integra a Mayet, fico exultante em constatar a cada dia a quantidade e a qualidade de pessoas que trazem conhecimento, experiência, boas intenções a principalmente ações ordenadas e efetivas para que a busca de sustentabilidade na moda passe de um movimento em ascenção para algo trivial, comum, presente no dia a dia de cada habitante e consumidor de moda do planeta.

“Todos os dias fazemos escolhas sobre onde gastamos nosso dinheiro. Se optar por diminuir a velocidade e gastá-lo em algo que conta uma história positiva, não negativa, pode realmente ter um impacto real nas pessoas e no planeta”.

Que assim seja…

Fontes:
www.cerci.co
www.fashion.telegraph.co.uk
www.fashionista.com
www.naturalcottoncolor.com.br
www.disruptorawards.com
www.maiyet.com
www.positiveluxury.com

Leave a Reply
Your email address will not be published. *