Main, Mrs Vintage, Mrs Vintage por Cris Galotti, por Cris Galotti

Semana de Moda de Paris por Cris Galotti

/
Semana de Moda de Paris por Cris Galotti
Chapeuzinho Vermelho não marca mais bobeira com o Lobo Mau. O mundo mudou. Nos tempos do escritor Charles Perrault, a netinha prestativa não fazia outra coisa além de cantarolar pela estrada afora bem sozinha, levando os doces para a vovozinha. Hoje seria diferente. Chapeuzinho já teria feito um check in no Face, postado três fotos no insta do tal caminho deserto e no mínimo bloqueado o Lobo Mau, o que facilitaria bastante a vida do Caçador. Foi propondo um diálogo com as novas gerações de meninas cada vez menos bobinhas e mais despachadas que a Chanel apresentou seu desfile na mais recente Semana de Moda de Paris.
No espírito dos tempos, Karl Lagerfeld fez do desfile da marca uma mensagem de engajamento as questões ambientais. Depois de levar para o Grand Palais cenários com a Torre Eiffel ou a Grécia Antiga, a inspiração deste ano foi a natureza. Modelos como Kaia Gerber, filha de Cindy Crawford, cruzavam uma passarela de madeira, diante de uma incrível cachoeira de 30 metros de altura. O cenário buscava reproduzir uma região na Provence chamada Gorges du Verdon, umas das jóias da beleza natural da Europa.
Botas impermeáveis de plástico transparente, casacos  clássicos e capinhas com capuz para não deixar pingar no tweed foram o destaque. Em tempos tão turbulentos mundo afora, as transparências surgem trazendo mais clareza e dando mais um passo na direção do Consumo Consciente. Se na moda os consumidores cada vez mais se preocupam em conhecer a procedência dos produtos que estão consumindo, e seus impactos na natureza, o eterno Lobo Mau conhecido como plástico mostrou que pode ser fabricado de maneira mais consciente, usando matérias primas como cana ou milho para produção de materiais biodegradáveis. Para alegria dos hipsters, a coleção foi ainda um verdadeiro mergulho nas raízes da Chanel. Mais Mrs Vintage, impossível.
(imagem retirada da internet)