Slow Fashion & Beauty

Slow Fashion – a moda que chegou para ficar

/

Peças atemporais, filosofia própria e consumo consciente.

O slow-fashion é um conceito baseado na confecção desacelerada, com muito respeito ao tempo de produção e às condições de trabalho dos profissionais envolvidos em todas as etapas necessárias para a criação de uma peça.

A filosofia slow defende as peças atemporais, feitas à mão e com processos artesanais, levantando a bandeira de um mercado mais justo. O vestuário produzido em massa, o consumo desenfreado, a poluição e a mão de obra duvidosa são tópicos levantados pelas marcas que nasceram desse lifestyle.

Marcela B.

O estilo é a nossa melhor ferramenta de expressão visual para o mundo, afinal, a moda é uma arte e cada peça e composição que escolhemos vestir tem como consequência comunicar.  Nem que seja apenas um bilhete sobre o nosso humor do dia. Seguindo essa linha de pensamento, faz todo o sentido concluir que mulheres e homens éticos e capazes de cultivar a empatia em suas casas, ambientes de trabalho e socialização, aplicariam os mesmos valores na hora de escolher comprar uma peça de roupa, certo?

Errado. O modelo fast-fashion chegou com tudo e nos alienou por completo sobre o processo de produção das roupas que adquirimos. Com o único propóstito de lucrar e na incansável busca por tendências no mundo da moda, acabamos por financiar um modelo de trabalho indigno para qualquer ser humano. Historicamente aprendemos que todo o movimento cultural gera um comtramovimento, o que os mais espiritualizados denominam de causa e efeito. Por isso, o slow-fashion nasceu como um grito de consciência em um universo berrante de egos estridentes.

A seguir, uma curadoria de marcas que estão fazendo a diferença no modelo de mercado brasileiro, com peças atemporais, refinadas, de extremo bom gosto:

Svetlana.

Gioconda Clothing.

Tricoma.

Fotos:Divulgação