Falta alma na moda brasileira

Falta alma na moda brasileira

Sobre a importância das raízes e a decadência das tendências.

Nesses últimos anos as escolas e cursos voltados para o mercado da moda só crescem. Porém, sinto que os profissionais envolvidos no estilo e na criação das marcas no Brasil esquecem de achar a sua própria alma e acabam simplesmente reproduzindo tendências. É importante que os estilistas à frente de suas marcas resgatem a sua essência e criem peças de acordo com uma identidade própria.

Ao meu ver a moda caminha para o slow fashion, com cada vez menos definições de gênero e cada vez mais propósito. Nos tempos atuais, não adianta nada criar uma marca apenas por criar uma marca, isso acaba se tornando mais do mesmo e o mundo já está cheio disso. É preciso analisar o nicho em que você deseja se inserir e pensar com calma: eu vou realmente conseguir produzir algo de diferente e único? Entenda o mercado e trace o seu caminho tendo em mente que a moda é sim feita de ciclos, porém, a busca incansável por tendências já está ficando fora de moda. A palavra da vez é o atemporal. 

O storytelling é algo em que acredito bastante, afinal, é necessário consistência para se comunicar ao longo das suas coleções. Fazer uma coleção boa se você tem técnica é algo possível, agora, conseguir criar o seu DNA e manter a qualidade nas criações de suas peças é uma situação rara de se encontrar.

Sugiro para que as marcas brasileiras valorizem mais a riqueza da cultura nacional. Ao invés de criar uma coleção com mood marroquino, por que não se inspirar em nosso folclore e a nossa arte? Fica a reflexão. Não posso deixar de agradecer ao Fashion for Better por esse espaço que me foi cedido em forma de coluna, para que eu possa me expressar sobre esse assunto que tanto me fascina, a moda. Acredito que esse é um movimento fundamental e que irá trazer muitos benefícios para o mercado brasileiro!

Até mais,

Xavier.

Related Posts