O inimigo algodão

O inimigo algodão

O algodão é a fibra têxtil mais consumida no mundo e é usado há mais de sete mil anos.  O Brasil é um dos maiores produtores de algodão e, por sua vez,  a importância da cultura do algodão na economia do País, o seu impacto na economia rural e na cadeia produtiva, levaram o Estado a empreender várias iniciativas para estimular a dinâmica desse nicho.

Lavouras convencionais de algodão podem ser extremamente agressivas ao meio ambiente, aos animais e aos agricultores, pois são as que mais utilizam agrotóxicos no mundo, fazendo com que cerca de 250 mil agricultores adoeçam a cada ano no mundo. É necessário um grande espaço de terrenos para sua agricultura e são utilizados diversos tipos de vermífugos, adubo químico, inseticidas entre outros agrotóxicos em seu cultivo. Os agrotóxicos são substâncias- ou uma mescla delas, destinada a impedir a ação de insetos, ácaros, moluscos, roedores, fungos ervas daninhas, bactérias e outras formas de vida animal ou vegetal prejudiciais à agricultura.

A saúde humana é afetada pelos agrotóxicos de três maneiras: durante sua fabricação, no momento da aplicação e ao consumir um produto contaminado. Independentemente da forma de contato, os efeitos são extremamente perigosos. Problemas neurológicos, como o Mal de Alzheimer, estão associados à exposição a inseticidas organofosforados, assim como o desenvolvimento de transtorno do déficit de atenção com hiperatividade em crianças. A Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA) considera esse composto como possível carcinogênico.

A EPA afirma que o efeito do pesticida depende do principio ativo nele presente. Os sintomas podem variar, desde irritação da pele, até problemas hormonais e o desenvolvimento de câncer.

Desde o final dos anos 80, muitos agricultores em todo o mundo têm se conscientizado para a necessidade de cultivar algodão com padrões orgânicos e ecológicos. Ao mesmo tempo, muitas indústrias têxteis estão modificando seus processos de fabricação, para reduzir a poluição.

O algodão orgânico é bem parecido com a fibra convencional e possibilita a confecção de diferentes tecidos.  Ao utilizar corantes naturais e até aproveitar as colorações naturais de alguns algodões, surgem novas cores para os produtos. Esse tipo de algodão é produzido em pequenas escalas, o que possibilita que ele seja acompanhado mais de perto. As colheitas são alternadas e são usados predadores naturais no combate às pragas.

O plantio e consumo do algodão orgânico têm muitas vantagens, como a obtenção de preços 30% mais altos que do algodão comum. As técnicas do cultivo também permitem que o solo recupere sua fertilidade e o equilíbrio ambiental que se perderiam com a produção do algodão comum.

Fotos: Pinterest

Fontes: Ecycle, Autossustentável, Closet Online

Related Posts