Você não nasceu para ser pequeno

Você não nasceu para ser pequeno

Você não nasceu para ser pequeno. Realize, um por um, todos os seus sonhos.

Ei, você, nós precisamos conversar sobre a sua autoestima. Precisamos resgatar o seu passado para entender quando é que foi que você deixou de acreditar que os seus sonhos valiam a pena. Já disse um poeta que a morte mais dolorida não é a morte física, e sim, os sonhos que morrem dentro da gente de pouquinho em pouquinho.

O mundo anda corrido demais, superficial demais. E se eu te contar que a paz encontra-se no menos? Menos ganância material e mais consciência espiritual.

A informação, sobre qualquer tema que seja, está estampada em telas que cabem na palma da mão, porém, a busca pela verdadeira sabedoria é um caminho árduo traçado por poucos. De acordo com os ensinamentos Budistas, existem quatro estágios de sofrimento: o nascimento, a doença, a velhice e a morte. Ou seja, nascer é sofrer. O sofrimento é inerente à vida do ser humano, pois ele reforça uma verdade que de tão simples acabamos por esquecer: nós estamos vivos.

Existe uma luz divina que mora dentro de cada um, apenas esperando para ser acesa. Mas ninguém ensina isso na escola, sabe-se lá porquê. E vamos seguindo dia após dia acreditando em coincidências e resumindo a nossa existência ao pagamento de boletos bancários.  Mas não precisa ser assim.

A única alternativa para efetivamente causar um impacto positivo na sociedade é seguir o seu coração e realizar os seus sonhos. Um indivíduo feliz e realizado contagia o seu círculo de amizades com esperança e boa energia. O mundo já está cheio de pessoas amarguradas e que não gostam de si mesmas, e isso consequentemente gera uma série de desentendimentos. Afinal, quem não gosta de si mesmo não é capaz de gostar do outro.

Você não nasceu para ser pequeno.